Santuário Nossa Senhora do Guadalupe

Rua Sophia Velter Salgado, s/nº - Vila Castelo Branco - Campinas, SP

+55 19 3227.5492

Artigos › 08/04/2019

Como você está respondendo aos apelos de Deus?

Dentro de nós existe um desejo imenso de escutar os apelos de Deus, pois todos nós fomos feitos em Deus. Ele nos conhece profundamente e sua voz ecoa em nós. Embora, às vezes, ouvimos apelos diferentes, vozes diferentes e rumores que nos tiram da Criação.

Dentro de nós existe a semente de Deus, do eterno, do divino. São coisas que fomos esquecendo e, quando olhamos no espelho, nos vemos deformados, e olhamos para o mundo, para outras pessoas e os vemos deformados nos valores, nos princípios.

Mas não foi assim que Deus nos pensou. Ele nos fez à sua imagem e semelhança, portanto, quando Jesus diz que o semeador saiu a semear, Ele fala de Deus Pai que não se cansa de lançar apelos.

As sementes são boas, estão potencialmente boas para germinar. A Palavra de Deus é atual. Tem em si tudo e o suficiente para produzir em nós algo maravilhoso. A semente do reino é a Palavra de Deus. Como disse o Papa Emérito Bento XVI:

Quem semeia no coração do homem é sempre e só o Senhor. Só depois da sementeira abundante e generosa da Palavra de Deus é possível aventurar-se pelas sendas do acompanhamento e da educação, da formação e do discernimento. Tudo isto está vinculado àquela pequena semente, dom misterioso da Providência celeste, que emana de si uma força extraordinária. Com efeito, é a Palavra de Deus que, por si mesma, realiza eficazmente aquilo que diz e deseja”.

O semeador lança sementes boas. O problema é como nós nos abrimos para esta graça de Deus. Que encontre uma terra boa. Lembrem-se todos nós somos bons, nós podemos ser a terra boa.

A grande mensagem é que o Senhor não desiste nunca. Ele continua a lançar sementes. E a grande meta de todo ser humano é procurar ter um coração trabalhado, uma alma dócil, uma mente aberta aos apelos de Deus.

A pergunta é, no hoje de nossa história, como estamos nos posicionando aos apelos de Deus? A essa pergunta temos que responder para nós mesmos. Se nós nos tornamos terreno árido, peçamos o derramamento do Espírito. Se somos terreno pedregoso devemos limpá-lo. Se estivermos mais para um canteiro de espinhos, arranquemo-los. Lembremos o que diz o Senhor: “Assim como a chuva e a neve descem do céu e para lá não voltam mais, mas vêm irrigar e fecundar a terra, e fazê-la germinar e dar semente, para o plantio e para a alimentação, assim a palavra que sair de minha boca: não voltará para mim vazia; antes, realizará tudo que for de minha vontade e produzirá os efeitos que pretendi, ao enviá-la” (Is 55,10-11).

A Palavra deve provocar decisão, mudança, acolhimento ao Reino de Deus e seguimento de Jesus. Que o nosso coração esteja sempre aberto para receber a Palavra de Deus.

Por Pe. Reginaldo Manzotti, via Aleteia

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

Newsletter