Santuário Nossa Senhora do Guadalupe

Rua Sophia Velter Salgado, s/nº - Vila Castelo Branco - Campinas, SP

+55 19 3227.5492

Mensagem do Reitor › 08/02/2017

Aparição de Guadalupe

A aparição de Nossa Senhora de Guadalupe é um pouco diferente da história que todos conhecemos sobre a Virgem de Aparecida. Essa história aconteceu no México, em 1531, quase 200 anos antes da aparição de Nossa Senhora Aparecida.
A história é muito bonita e envolve um índio chamado Juan Diego, que é santo e cuja festa celebramos no dia 12 de dezembro. Esse indiozinho se encontrou várias vezes com uma aparição da Virgem em um monte chamado Tepeyac. Qual era o desejo da Virgem? Que se erguesse em sua honra uma igreja naquele local.
Juan Diego, com a melhor das intenções, dirige-se ao bispo para lhe dizer o desejo da Virgem, mas este tinha muita dificuldade em acreditar no que estava escutando e, portanto, pedia provas. A Virgem prometeu que enviaria um sinal por meio de Juan Diego, mas ele não voltou para encontrá-la para que ela pudesse dar esse sinal.
Ao mesmo tempo, um tio do índio ficou gravemente doente e então Juan Diego tentou evitar ainda mais a Virgem, porque não queria ser interrompido enquanto tentava ajudar seu familiar. Nesse contexto se dáum dos encontros mais bonitos entre a Virgem e o índio.
Dando a volta no monte para não encontrar a Virgem, viu-a descer do monte na sua direção e ela disse: “O que acontece, meu filhinho pequeno? Aonde vai?”. Na presença da Virgem, sempre respeitoso, explicou a difícil situação pela que estava passando em casa. A Virgem escutou com muito cuidado tudo o que ele tinha para dizer e no final respondeu com uma frase que ficou muito famosa: “Que não se perturbe o seu rosto, nem seu coração. Não tema esta doença nem nenhuma outra, não fique aflito, não estou eu aqui, que sou sua mãe? Você não está debaixo da minha sombra e sob o meu cuidado? Não sou eu a fonte da sua alegria?”.
Juan Diego, ao ouvir essas palavras, ficou com o coração consolado. A Virgem então pediu que ele subisse ao monte e pegasse umas flores e as guardasse em seu manto. Foi o que ele fez. Ela então disse que essas flores seriam o sinal que o bispo estava esperando. Pediu que Juan Diego voltasse a ele e contasse tudo o que acontecera.
Ao chegar à presença do bispo, Juan Diego relatou o seu encontro com a Virgem e quando lhe foi pedido para mostrar o sinal, desamarrou seu manto e deixou cair as variadas flores. As flores por si só já seriam um sinal, porque não cresciam naquele período. Mas, talvez, não seriam sinal suficiente. Por isso, ao deixar que caíssem, perceberam admirados que no manto do índio havia uma imagem de Nossa Senhora.
Essa é a imagem que hoje conhecemos como a Virgem de Guadalupe. É uma imagem impressionante, até hoje muito estudada pelos cientistas porque não se sabe explicar ao certo como se formou. Também foram descobertas várias particularidades interessantes, como as imagens que se formam no olho da Virgem quando olhados bem de perto.
Em Nossa Senhora de Guadalupe percebemos quanto a Virgem quer e fica cuidando de cada um de nós, como uma mãe zelosa e carinhosa. Confie nela, porque é também sua mãe. Ela está onde você está. Virgem de Guadalupe, zela por mim.

Pe. Carlos Nascimento
Reitor do Santuário Nossa Senhora de Guadalupe – Campinas, SP

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

Newsletter