Santuário Nossa Senhora do Guadalupe

Rua Sophia Velter Salgado, s/nº - Vila Castelo Branco - Campinas, SP

+55 19 3227.5492

Mensagem do Reitor › 29/09/2016

Nosso Zeloso Guardador

anjos“Cada fiel é ladeado por um anjo como protetor e pastor para conduzi-lo à vida.” (Catecismo da Igreja Católica – CIC § 336).

Desde o início até a morte o homem está ladeado por um anjo que guarda e protege a sua vida, ajudando o homem a caminhar para o seu destino final que é encontrar-se com o Deus e com Ele fazer morada no céu, morada essa de que os anjos já fazem parte.

Aos anjos, pela tradição judaica, não é atribuído nenhum caráter de santidade e é frisado que as orações devem ser dirigidas somente a Deus, não aos seus mensageiros.

Muitos dos anjos são mensageiros de Deus aos homens e muitos não são reconhecidos em suas formas ou em suas mensagens, não são entendidos.
A missão dos anjos da guarda é “conduzir à vida”, ao Céu, os seres humanos. Mesmo já contemplando a Deus face a face, eles receberam na Terra a missão de levar os homens à Pátria Celeste. O seu ofício não é, pois, uma simples “proteção física”, como se os anjos existissem tão somente para ajudar criancinhas a atravessar a rua. Trata-se de uma missão eminentemente espiritual, cujo foco é a salvação eterna das almas – mesmo que, para isso, passe-se por sofrimentos, doenças ou tragédias.

Os anjos da guarda querem e lutam pela salvação dos homens, inspirando-os, iluminando-os e, às vezes, até realizando milagres e lutando contra os próprios demônios.

Como são instrumentos santos que possuem inteligência e são livres, eles desejam,mais do que nós, fazer chegar a salvação para cada pessoa sob a sua proteção.

O Catecismo da Igreja Católica também diz que os anjos são criaturas pessoais, ou seja, são imortais, porque puramente espirituais, e superam em perfeição as criaturas visíveis (CIC § 330). A perfeição dos anjos não permite, no entanto, que eles penetrem nossas consciências; temos que manifestar-lhes as nossas necessidades, mas basta falar com eles mentalmente e nos entenderão. O fato de os anjos serem pessoas nos faz ver que são capazes de relações de amizade e de fraternidade com os homens. Eles são nossos amigos. Seria bom se cultivássemos essa amizade frequentemente,
conversando com eles, pedindo a sua proteção e agradecendo por seus favores.

Como forma de agradecer ao nosso anjo da guarda rezemos juntos a oração do anjo: “Santo anjo do Senhor, meu zeloso guardador, se a ti me confiou a piedade divina, sempre me rege, me guarda, me governa, me ilumine. Amém!”.

Sejamos agradecidos por Deus conceder a cada um de nós um companheiro que caminha conosco, desde o nascimento até a morte.

Pe. Carlos Nascimento
Reitor do Santuário Nossa Senhora
de Guadalupe – Campinas, SP

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

Newsletter