Santuário Nossa Senhora do Guadalupe

Rua Sophia Velter Salgado, s/nº - Vila Castelo Branco - Campinas, SP

+55 19 3227.5492

Mensagem do Reitor › 04/11/2016

Para onde vão as almas depois que morrem?

finados3Logo depois de morrer as almas são julgadas num julgamento particular, no qual se determina, a partir daquilo que fizemos, a sorte de cada uma.

O Novo Testamento fala do juízo na perspectiva do encontro final com Cristo na
segunda vinda, no fim dos tempos.

Mas, repetidas vezes, afirma sobre a retribuição, imediatamente após a morte, de cada um em função de suas obras e de sua fé. A parábola do pobre Lázaro e a palavra de Jesus Cristo na cruz ao bom ladrão arrependido falam de um destino último da alma, que pode ser diferente para uns e para outros.

Dentro dessa perspectiva, gostaria de dizer a todos da importância de sempre se lembrar das almas de todos os nossos convivas que participaram de nossas vidas ou a que se recomendaram as nossas orações.

Nesse local de purificação, a alma não vê a Deus e sofre graves penas, de acordo com a maior ou menor expiação que deve fazer pelos seus pecados.

O tempo de permanência no purgatório e as penas nele sofridas podem ser mitigadas pelas orações e sacrifícios que
nós, aqui na Terra, oferecemos pelas almas que lá estão; mais ainda, pelas Missas mandadas celebrar em benefício dessas almas. A oração é a elevação da alma até Deus ou o pedido a Deus dos bens convenientes.
É por palavras, mentais e vocais, que nossa oração vai crescendo. Mas, o mais importante é a presença do coração em nossas orações.

O que as faz ser ouvidas não é a quantidade de palavras usadas, mas o fervor com que rezamos. Deus procura adoradores em espírito e verdade e, por conseguinte, a oração que sobe viva das profundezas da alma. Pelas indulgências que recebem, os fiéis podem obter para si mesmos ou também para as almas do purgatório a remissão das penas temporais, consequentemente, dos pecados.

Neste Ano da Misericórdia, temos a oportunidade de caminhar bastante nessa direção, buscando não só para nós, mas por todos aqueles que dependem exclusivamente de nossa lembrança e de nossa oração. Você tem oportunidade, não a perca. A doutrina da Igreja afirma a existência do inferno na sua eternidade. A pena principal do inferno consiste na separação eterna de Deus, o único em quem o homem pode ter vida e felicidade.

Muitas vezes, o termo “alma” designa na Sagrada Escritura a vida humana ou a pessoa humana inteira, mas designa também o que há de mais íntimo no homem e o que há nele de maior valor, aquilo que mais particularmente o faz ser imagem de Deus; “alma” significa o princípio espiritual no homem, princípio esse que faz o homem desejar, durante sua vida, assemelhar-se ao seu Criador, fazendo e buscando atitudes mais próximas de Deus.
No fim da vida faremos o encontro com quem nos criou.

Reze por aqueles que partiram antes de nós para que seu encontro produza a eficácia desejada. Ajude-os a ser melhores, ofereça-lhes orações e Missas.

Pe. Carlos Nascimento
Reitor do Santuário Nossa Senhora
de Guadalupe – Campinas, SP

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

Newsletter